Dia D: Audiência Pública debate Monotrilho X Metro

Dia D: Audiência Pública debate Monotrilho X Metro

5/6/2012 – Audiência Publica recebe mais de 200 pessoas na Alesp para debater sobre o Monotrilho a ser construído na região do Morumbi.

g n 66 1b7f - Dia D: Audiência Pública debate Monotrilho X MetroNo dia 31 de Maio, quinta-feira, aconteceu a aguardada Audiência Pública para tratar de questões relativas à pertinência do Monotrilho a ser construído em São Paulo para a implantação da Linha 17 – Ouro do Metrô, mais especificamente na região do Morumbi.

O evento contou com a participação de moradores da região que se manifestaram de maneiras completamente opostas em relação à obra. No entender de uma parte dos habitantes, o ideal é continuar as obras do monotrilho, em detrimento de qualquer outra opção de transporte público.

O grupo vestido com as camisas “metro sim, monotrilho não”, propunha um traçado diferente, o qual teria menor impacto ambiental, e atenderia uma quantidade muito maior de pessoas da comunidade carente, alem de demonstrar que a capacidade de transporte do metro subterrâneo é muito maior do que do monotrilho.

O Deputado Federal Ricardo Izar, autor do requerimento aprovado pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara Federal que culminou com a realização da audiência, ouviu todas as considerações de lideres da comunidade e representantes de associação, sempre ladeado pelo Dep. Estadual Luiz Carlos Gondim.

Para a Audiência Pública, além das associações da região que entraram em contato com o Gabinete do Dep. Ricardo Izar, foram convidados o Presidente do Metro e O Secretário de Transportes Metropolitanos do Estado, os quais não compareceram, e enviaram o Sr. Mauro Biazotti como representante.

No final do evento que contou com a presença maciça da mídia, Izar ressaltou que “a possibilidade de outros traçados devem ser levada em conta pelo governo do estado de São Paulo. É preciso um verdadeiro plano de mobilidade para o Morumbi, e não é o que estamos vendo no projeto atual”.

O congressista também se comprometeu em encaminhar, via Comissão de Viação e Transportes, às perguntas formuladas no evento para o Metro, e que tomaria todas as providências para esclarecer incoerências como: o alto custo para desapropriação em função do traçado escolhido, a baixa eficiência dessa forma de transporte coletivo e a não abertura das estações nas datas de jogos.

Cadastre-se  aqui

Gostou deste conteúdo? Faça um comentário!

avatar
Fechar Menu