Incêndio de grandes proporções atinge Museu Nacional no Rio de Janeiro

Incêndio de grandes proporções atinge Museu Nacional no Rio de Janeiro
Incêndio destruiu diversos itens do Museu Nacional

Na noite de ontem (02/Setembro) tivemos uma perda irreparável de conhecimento histórico e científico do Brasil e do mundo. Um incêndio de grandes proporções atingiu o Museu Nacional, em São Cristóvão, no Rio de Janeiro. O fogo teve início por volta das 19h30 e foi controlado apenas na madrugada de hoje (03/Setembro). A instituição, que já foi residência da monarquia brasileira, tinha completado 200 anos em 2018. Fósseis, múmias, registros históricos e obras de arte faziam parte do acervo destruído.

O incêndio começou logo após o fechamento para visitação pública e agora, mediante perícia técnica, as causas do sinistro passam a ser investigadas. A Delegacia de Repressão a Crimes de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico da Policia Federal vai apurar se o início do fogo foi criminoso ou não. De acordo com a assessoria do museu, não houve feridos. Quatro vigilantes que trabalhavam no horário do incêndio saíram ilesos.

Os bombeiros tiveram dificuldades para conter o fogo já que o museu é localizado em uma colina. O fornecimento de água para conter o fogo enfrentou uma série de limitações e o abastecimento foi feito por carros-pipa, entregues pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro, CEDAE.

Tragédia anunciada

A imprensa internacional repercutiu a notícia e fala em uma grande tragédia. Os jornais dizem que centenas de anos de história foram destruídas. De acordo com eles, a crise política e econômica no país também foram responsáveis pelo incêndio. Há três anos o museu tem operado com recursos reduzidos, devido à crise financeira da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O acervo contava com mais de 20 milhões de itens. O local tinha a maior coleção de múmias egípcias das Américas; o fóssil humano mais antigo da região, a Luzia, com mais de 12 mil anos e o esqueleto do Maxakalisaurus topai, maior dinossauro encontrado em território brasileiro.

Biografia

Antes de ser museu, o espaço foi sede da primeira Assembleia Constituinte Republicana, nos anos de 1889 a 1891. O prédio é patrimônio tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Além disso, o Museu oferecia cursos de extensão e pós-graduação para diversas vertentes do conhecimento. Estava previsto para esta semana um debate sobre a independência do Brasil e o IV Simpósio Brasileiro de Paleontoinvertebrados, no mês de outubro.

Cadastre-se  aqui

Gostou deste conteúdo? Faça um comentário!

avatar
Fechar Menu