Conselho de Ética marca reuniões na terça e quarta-feira na tentativa de concluir votações

Conselho de Ética marca reuniões na terça e quarta-feira na tentativa de concluir votações

4/11/2016 – O relator do caso, deputado Ricardo Izar (PP-SP), tem 30 dias úteis para concluir as diligências e a instrução do processo por quebra de decoro parlamentar.g n 529 4r1u 300x169 - Conselho de Ética marca reuniões na terça e quarta-feira na tentativa de concluir votações

O Conselho de Ética tem reuniões marcadas nesta terça e quarta-feira (dias 8 e 9) para tratar de quatro processos que estão em análise no colegiado.

Os trabalhos começam às 13h30 da terça-feira quando devem ser ouvidas testemunhas arroladas para falar no processo em desfavor do deputado Jean Wyllys (Psol/RJ). O relator do caso, deputado Ricardo Izar (PP-SP), tem 30 dias úteis para concluir as diligências e a instrução do processo por quebra de decoro parlamentar.

Em representação, a Mesa Diretora da Câmara acusa Jean Wyllys de ferir o decoro parlamentar ao cuspir na direção do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). O episódio ocorreu em 17 de abril, no Plenário da Câmara, durante a votação da admissibilidade do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Serão ouvidos, além de Bolsonaro e Jean Wyllys, os deputados Luiz Sérgio (PT-RJ), Covatti Filho (PP-RS), Marcus Vicente (PP-ES), Delegado Éder Mauro (PSD-PA), Chico Alencar (Psol-RJ) e Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), além de Alberto Fraga (DEM-DF) e Ezequiel Teixeira (PTN-RJ), subscritores dos requerimentos que originaram a representação da Mesa da Câmara.

Votações
Após a oitiva, o Conselho de Ética pode votar o parecer preliminar elaborado pelo deputado Júlio Delgado (PSB-MG) em outro processo contra Jean Wyllys, iniciado pelo Partido Social Cristão (PSC). O PSC pede que o colegiado puna Wyllys por mensagem postada no Facebook no qual critica os “delírios homofóbicos de políticos e líderes religiosos mentirosos”, ao comentar o massacre de gays em boate de Orlando (EUA).

Também está na pauta a votação processo iniciado pelo Partido Verde (PV) contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). O partido aponta que Bolsonaro teria feito “apologia ao crime de tortura”. O deputado homenageou o coronel Brilhante Ustra no Plenário, durante a votação da admissibilidade do impeachment da então presidente Dilma Rousseff, em 17 de abril.

Por fim, o Conselho pode votar ação do Partido dos Trabalhadores (PT) contra o deputado Laerte Bessa (PR-DF). Bessa é acusado de proferir, em discurso no Plenário da Câmara, ofensas não apenas contra o partido, mas também contra a ex-presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e filiados da legenda.

Matéria completa em:
http://www.cenariomt.com.br/2016/11/04/conselho-de-etica-marca-reunioes-na-terca-e-quarta-feira-na-t
entativa-de-concluir-votacoes/ 

Cadastre-se  aqui

Gostou deste conteúdo? Faça um comentário!

avatar
Fechar Menu