Uma maneira diferente de ver o mundo

Uma maneira diferente de ver o mundo
Pessoas com Deficiência

O Dia Internacional das Pessoas com Deficiência foi instituído em 1992 pela Organização das Nações Unidas (ONU). A partir de então, o dia 3 de dezembro marca a busca pela reflexão sobre os direitos da pessoa com deficiência.

A data tem como objetivo familiarizar a sociedade sobre princípios de igualdade, acessibilidade, inclusão a todos os cidadãos, promoção dos direitos humanos e estímulo a políticas voltadas para as pessoas com deficiência.

Os benefícios que essas ações podem trazer para pessoas com deficiência – física ou cognitiva – e a população em geral, levou a ONU à divulgação desse tema junto a governos, empresas e sociedade. Um exemplo é o estímulo à eliminação das barreiras atitudinais, de informação e de caráter arquitetônico que impossibilitam pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida de participar efetivamente de atividades comuns da vida cotidiana.

A título de exemplo, no Brasil, estima-se aproximadamente 3 milhões de pessoas com autismo – algo como 150 mil casos por ano (1% dos recém-nascidos). Os constantes progressos em relação à inclusão de pessoas com deficiência estão presentes na Constituição Federal (1988), na Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência (2006) e na Lei Brasileira de Inclusão (LBI – 2015).

O Projeto de Lei 10063/18 de autoria do deputado federal Ricardo Izar (PP-SP), obriga estabelecimentos públicos e privados a incluírem placas e avisos sinalizadores de atendimento prioritário com o símbolo mundial da conscientização do autismo.

A inserção desse símbolo em locais como supermercados, farmácias, aeroportos, bancos, bares, restaurantes, lojas e estabelecimentos em geral seria uma maneira de dar publicidade e colocar em prática os direitos dos portadores de transtornos do espectro autista.

Transtornos do Espectro Autista (TEA): o que é?

Popularmente conhecido como Autismo, o TEA caracteriza-se por uma deficiência no desenvolvimento neurológico de crianças que ocasiona alterações significativas em suas capacidades de comunicação e interação social, assim como a expressão de comportamentos repetitivos e estereotipados em seu comportamento.

A pessoa autista pode, a depender da intensidade de sua condição, manifestar hiperatividade, comportamento agressivo, impulsividade, irritabilidade, repetições de ações e palavras. Muitas pessoas autistas podem apresentar hipersensibilidade a estímulos de luz e sons.

 

Cadastre-se  aqui

Gostou deste conteúdo? Faça um comentário!

avatar
Fechar Menu